Terça-feira, 22 de Junho de 2021, 23:55h

Junho Verde - Mês de Conscientização da Escoliose Idiopática

Publicado em: Segunda-feira, 07 de Junho de 2021, 11:54h - Por: Ascom CREFITO-14

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) a escoliose idiopática é uma patologia que acomete entre 2 e 4% da população em todo o mundo. A fim de alertar a população sobre a importância do diagnóstico precoce e o tratamento adequado, a OMS instituiu o "Julho Verde”, Mês de Conscientização da Escoliose Idiopática. A escoliose é uma patologia que faz uma torção generalizada em todo o tronco do indivíduo. É considerada uma deformidade tridimensional, já que provoca alterações nos três planos do espaço, ou seja, há inclinação, rotação e extensão da vértebra. Existem vários graus de escoliose. Contudo, em mais de 80% dos casos, não há uma causa específica. Esses casos são chamados de ” idiopática “, que significa causa indeterminada.

Há vários tipos de escoliose, sendo 3 as principais: Escoliose congênita (de nascença) que é causada pela má formação da estrutura vertebral decorrente de um problema com a formação dos ossos da coluna vertebral (vértebras) ou de um problema de fusão dos ossos da coluna. A Escoliose Neuromuscular que é causada por doenças ou distúrbios que acometem o sistema nervoso central, os nervos e os músculos como paralisia cerebral ou muscular, sequelas de doenças neurológicas (como a poliomielite) e distrofia muscular. Geralmente, a escoliose do tipo neuromuscular apresenta uma longa curva em forma de um “C”, e a Escoliose idiopática apresenta causas multifatoriais e dificilmente identificadas, manifesta-se também na infância durante os estirões de crescimento e é muito mais agressiva ao corpo devido ao grau de deformidade gerado nas curvas da coluna. Ela é a mais agressiva quando não monitorada e tratada e por isso justifica-se a necessidade da conscientização a respeito.

É muito importante que o tratamento para a escoliose idiopática seja iniciado o quanto antes para impedir a progressão das alterações estruturais, controlar a dor e possíveis alterações respiratórias. E, nos casos mais avançados, em que as curvaturas são muito acentuadas, pode ser necessária intervenção cirúrgica. O fisioterapeuta é essencial no tratamento da escoliose, o profissional é habilitado para avaliar, estabelecer diagnóstico e definir a melhor forma de tratamento, inclusive a prescrição de órtese, a fim de evitar a progressão do desvio, dores e a consequente necessidade de cirurgia corretiva. O diagnóstico precoce é sempre a melhor saída, mas se a cirurgia for inevitável, o fisioterapeuta te acompanha no pós-operatório. Qualquer alteração postural, consulte seu Fisioterapeuta!


Fonte: #escoliose #junhoverde #fisioterapia #crefito14