Quinta-feira, 28 de Outubro de 2021, 11:42h

Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha

Publicado em: Domingo, 25 de Julho de 2021, 16:00h - Por: Ascom CREFITO-14

Anualmente, no 25 de julho, simboliza uma importante luta, a celebração do Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha e o Dia Nacional de Teresa de Benguela, líder quilombola do século 18, que lutou contra a escravidão da comunidade negra e indígena. De acordo com a Associação de Mulheres Afro, na América Latina e no Caribe, 200 milhões de pessoas se identificam como afrodescendentes. Porém, tanto no Brasil quanto fora dele, essa parcela populacional também é a que mais sofre com a pobreza: três em cada quatro são pessoas negras, segundo o IBGE.

Em 1992, um grupo decidiu que era preciso se organizar de alguma forma para reverter esses dados e que uma solução só poderia surgir da própria união entre mulheres negras. Assim, organizaram o primeiro Encontro de Mulheres Negras Latinas e Caribenhas em Santo Domingo, na República Dominicana, onde levaram ao evento, discussões sobre os diversos problemas e alternativas de como resolvê-los. A partir desse encontro, nasceu a Rede de Mulheres Afro-latino-americanas e Afro-Caribenhas. A Rede, junto à ONU, lutou para o reconhecimento do Dia Internacional da Mulher Negra, Latino-Americana e Caribenha.

No Brasil, em 2 de junho de 2014, foi instituído por meio da Lei nº 12.987, o dia 25 de julho como o Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, homenageando uma das principais mulheres, símbolo de resistência e importantíssima liderança na luta contra a escravização. Uma celebração em que as mulheres negras, indígenas e de comunidades tradicionais refletem e fortalecem as organizações voltadas às mulheres negras e suas diversas lutas. Quando a mulher negra se movimenta, toda a estrutura da sociedade se movimenta com ela.


Fonte: #crefito14 #mulhernegra #latinoamericana #caribenha